Clamor Impreciso

Me armo da unica coisa que talvez, nos dias de hoje

Mantenha minha sensatez

Inibida antes por angústias e augúrios, hoje se vê livre

Para transpassar a realidade e o sonho, atentando assim,
Parao meu alvo que se resolve em uma silhueta carmesim
Tão longe de mim, mas perto dos desejos, do poder e da
Vontade de ter encontrado o ponto final da saga.
Mas, me atenho a dizer, que temo, e tremo, pois
Tão grandiosa e constante alegria, deve ter seu preço, mesmo
Com esforço, nada vem sem o devido sacrifício
E minhas preces se voltam para que esse seja o
Destino, que abriu uma porta para uma renovada existência
Onde o carinho e o semblante não esmorecem mas, se
Juntam em cores anis, circulando o halo que deve, ou pode
Unir nossas imortais almas.
Pois mesmo ao escapar do perene corpo, da carne,
Desejo afundar em devaneios e sentimentos, todos voltados
A uma atenção, e em una canção, desejo te guardar
Por toda a eternidade, no espaço simples e finito,
Que é este mero coração
Anúncios